Mitos sobre a bateria

As baterias são um dos componentes mais importantes de nosso telefone, delas depende se o celular vai continuar ligado e que tenham uma autonomia decente, daí que surgem e acumulam mais mitos em torno delas. Os tempos de cargas, os comportamentos que causam sua degradação…

Um dos mais ouvidos é o relativo às cargas durante a noite. Acaba o dia, deixamos o celular sobre a mesa de cabeceira e, automaticamente, ligar o carregador para recuperar de novo toda a sua energia. Um comportamento que está associado habitualmente que o telefone não desliga até de manhã. Mas, será que isso é realmente ruim para a bateria?

Não deixar o celular muito tempo carregando

Com as baterias se cumpre aquele famoso ditado de “cria fama, agora deita na cama”, pois a maioria dos mitos que os cercam têm que haver com tecnologias que já se deixaram no passado, como as antigas baterias de níquel-cádmio. Com as gerações atuais de íons de lítio, e mesmo com as de polímero de lítio, não se produz nada do que acontecia no passado.

Entre outras falsas informações que você tem que banir, uma delas é a de longas cargas. As baterias não sofrem hoje por longos períodos de carga, como os que fazemos durante a noite, e o motivo disso é que não superaquece como as anteriores. As atuais são tão inteligentes que desconectam o fluxo de entrada de energia quando chegam ao topo de sua carga.

A bateria deixa de receber energia do carregador quando alcança 100% de sua capacidade e só voltará a ser iniciada quando este nível de bateria desça. Por isso, é comum que ao longo da noite, a bateria de nosso telefone tenha uma carga longa até chegar ao topo e, em seguida, pequenas cargas. Daí que, ao acordar, a encontrarmos a 100% e fria.

De fato, este mito também desmonta outro que diz que devemos fazer uma primeira carga muito longa da bateria quando compramos nosso telefone móvel zerado. Se a bateria para de carregar quando chega a 100%, fazer uma primeira carga longa é completamente inútil. As longas cargas de bateria durante a noite são coisa do passado, como também o mito de que não devemos carregá-la até chegar a 0% de sua capacidade.

Carregar quando a bateria estiver totalmente descarregada

Outro dos mitos herdados pelas baterias atualmente, é o relativo ao efeito de memória das mesmas. Um efeito que se produz quando carregamos uma bateria que não estava completamente descarregada e que ocorria a criação de cristais no interior da própria pilha. Estes cristais se originavam por reações químicas ao aquecer-se a própria bateria durante o uso, e também por causa das más cargas.

Com as baterias de íons de lítio ou de polímero de lítio não se produz o efeito de memória, daí não é necessário esperar que se baixem os 100% para depois conectar o carregador. Podemos carregar a bateria quando e como quisermos, e a própria bateria não vai sofrer maior desgaste do que o produzido pelo próprio tempo de vida das mesmas.

Assim, como vemos, as novas gerações de baterias que nos acompanham desde já bastante tempo foram desmontando os mitos relacionados com tecnologias desatualizadas ou completamente deslocadas. Vida longa ao lítio, sobre tudo agora que pode ser sólido e a aumentar desde a sua duração até a sua eficiência. E não se preocupe tanto com as baterias, a tecnologia associada a elas também evolui, mesmo que não se preste tanta atenção dos departamentos de marketing.

As 10 diferenças entre uma TELEVISÃO LCD e uma LED

A evolução da televisão tem sido surpreendente ao longo dos anos, desde os antigos aparelhos em preto e branco até as telas modernas digitais. E já que existe uma grande variedade de dispositivos para escolher, é necessário ter em conta as diferenças tv LED e LCD, com o objetivo de conhecer de forma precisa as características dos dois mais populares tipos de televisão no mercado.

10 diferenças entre uma TV LED e LCD

1. Os televisores LCD funcionam com base em uma lâmpada fluorescente de cátodo frio, localizada na parte traseira do dispositivo. Esta, por sua vez, retro ilumina os pixels para projetar a imagem na tela de cristal líquido. Pelo contrário, os Led’s usam diodos emissores de luz, em vez de luzes fluorescentes. Ao contrário do OLED ou plasma em que cada pixel constitui a sua própria fonte de luz – o LCD precisa que os pixels sejam iluminados por trás.

2. Por muito tempo, as tvs de LCD foram incapazes de rivalizar com a gama de cores pretas de TELEVISÕES de plasma. No entanto, a tecnologia dos modelos LED mais recentes, tem permitido que a implantação destas cores na tela seja da máxima qualidade possível. Isso é graças a uma função chamada atenuação local, que consiste em desligar e ligar os diodos para conseguir um contraste perfeito.

3. A qualidade de imagem de uma tv LED é superior à de LCD devido a tecnologia utilizada em sua fabricação. A luz de fundo de LED permite que a gama de cores mais ampla, tenha um melhor contraste e, além disso, apresentar uma melhor fidelidade em formato full HD (1080p).

4. Uma das principais diferenças tv led é a maior eficiência em economia de energia, comparadas com as de LCD. Isso, devido ao menor uso de luz utilizado para a exibição das imagens, que são uma excelente opção para a economia familiar.

5. Tecnologias de vanguarda, como o 3D e Smart TV são muito mais fáceis de encontrar em modelos de LED do que as de LCD, devido ao crescimento que tiveram as primeiras durante os últimos anos.

6. A progressiva queda na popularidade e vendas de tv lcd também, fizeram com que o preço diminua. Portanto, as LED são geralmente mais caras, mas por outro lado o seu preço se justifica graças às suas múltiplas funções e características deste tipo de aparelhos.

7. As tvs de LED oferecem modelos mais finos que os de LCD. Esta característica tem influenciado para que uma grande parte do público prefere não só pela grande qualidade de imagem, que oferecem, mas pelo seu design atraente, que se encaixa perfeitamente em qualquer espaço.

8. De acordo com a informação disponibilizada, tvs de LCD superam a LUZ como a primeira opção para aqueles que procuram desfrutar de jogos de vídeo em telas de grande qualidade de imagem. Isto é devido a que a sua tecnologia que os torna mais resistentes ao aparecimento de “sombras fantasma” resultado das imagens presentes nos gráficos de este tipo de jogos.

9. A maioria das TV de LED, atualmente, contam com as melhores opções de conexão que os LCD: maior número de entradas HDMI, USB e de um computador, além de manter as tradicionais entradas de vídeo composto.

10. O ângulo de visão é um pouco melhor em televisores LED, que no LCD. Isso significa que o espectador poderá desfrutar de imagens de alta qualidade e sem distorção, sem importar o lugar onde você se sente para assistir sua programação favorita. Apesar de tudo, diversas análises concluem que a tecnologia de ambos os tipos ainda não atinge a qualidade de seu ângulo de visão superior, ou se trate mesmo de tvs de plasma.

É necessário se informar sobre as principais diferenças tv de LED para tomar a melhor decisão de compra. Recapitulando: deve ser considerado o preço, tamanho, design, número de entradas, se é full HD, ou, simplesmente, HD e, em geral, as características próprias de cada modelo. Com um investimento adequado é possível adquirir uma tv que ofereça a melhor definição de imagem com um design compacto que pode ser colocado em qualquer espaço e se transforme também em um atrativo decorativo.

Dicas de exercícios para emagrecer os braços e pernas

Quando pensamos em perder peso, geralmente, concentramo-nos em nos livrar principalmente da gordura do abdômen e das pernas, ou pensamos em como levantar o traseiro e definir os peitos.

Para emagrecer e tonifica-los é necessário fazer alguns simples exercícios. Para adicionar à sua rotina, nós temos 5 opções:

1. Bíceps. Na rua ou no escritório carregando duas garrafas de água pequenas (500 ml) uma em cada mão, e com a palma de sua mão, movendo para a frente, dobre o cotovelo até formar um ângulo de 90 graus e estique. Repita o movimento 15 vezes.

2. Fortalecer o “coelho”. Cole os cotovelos em seu corpo e com a palma de sua mão, movendo lentamente a garrafa de água quase até o ombro, e de regresso. Faça 15 repetições.

3. Círculos: Estica os braços de forma paralela ao chão, estendendo-os bem e faça pequenos círculos para a frente. Lembre-se de contrair o abdômen enquanto faz o movimento. Continue o movimento por um minuto e depois repita os círculos, mas agora para trás.

4. Tríceps: Levante os braços para que seus cotovelos fiquem acima de sua cabeça. Segure firme com as duas mãos a garrafa de água e dobra-se para trás, para que a garrafa fique entre os seus ombros. Estique os braços para cima e repita o movimento 15 vezes.

5. Braço e abdômen. Junta as palmas das mãos na altura de sua testa e una os cotovelos à altura de seu queixo. Sente-se direita e pressionando o abdômen e levante os cotovelos até a frente, sem separá-los. Repita 15 vezes.

Com estes exercícios esqueça os braços gordinhos e pareça incrível. Para alcançar resultados mais efetivos realiza a rotina diariamente. Lembre-se de que a chave do sucesso é a constância.

Segue abaixo 3 ótimos exercícios para emagrecer as pernas:

1. Emagrecimento das perna

Puxa uma cadeira e coloque-a diante de ti, a uma distancia o suficiente para apoiar sobre a mesma com o pé esquerdo, estendendo a perna do mesmo lado. Inclina o tronco ao mesmo tempo em que flexionas a perna esquerda, enquanto a direita permanece completamente estendida. Repita este exercício por 20 vezes, posteriormente, muda de pé.

2. Moldar suas coxas

De pé, com as mãos na cintura, abre as pernas, tudo o que lhe seja possível. Mova o corpo para um e outro lado, enquanto flexionas as pernas do mesmo lado e estender a do lado contrário. Repita 20 vezes.

3. Agachamento

Separe as pernas, aproximadamente, a distância que tem entre os ombros. Estenda os dois braços para a frente, perpendiculares ao corpo, enquanto este desce, flexionando as duas pernas. Em seguida, eleva-se o corpo esticando as pernas, ao mesmo tempo em que descem os braços, levando-os a cada lado do corpo. Realiza 20 repetições.

Como comprar um fone de ouvido

 

Quando quiser ouvir a sua música favorita em um espaço mais íntimo, sem perturbar a família ou vizinhos, apesar de colocá-la em um volume elevado, os fones de ouvido de alta-qualidade são a opção mais recomendável, já que oferecem um cenário próprio para desfrutar de suas sessões audiófilas.

O problema surge na hora de escolher o modelo ideal. Nas lojas encontramos uma multidão de fones de ouvido que se definem como de “alta fidelidade” embora não chegam a ser, com algumas especificações são muito bons, mas que depois não dão retorno. O que eu tenho que fixar para escolher meu próximo fone de ouvido wifi?

Formas, materiais e design

Há fones de ouvido para todos os tipos de gostos, com muito variados desenhos e estruturas. Por exemplo, de acordo com a forma de seus ouvidos podem ser do tipo earphones ou botão, que são colocados dentro de nossos ouvidos, são muito pequenos, baratos e vêm de série com muitos players portáteis e telefones celulares. São interessantes se você está procurando algo leve e confortável, mas não se pretende obter uma experiência de alta-qualidade.

Temos também os do tipo in-Ear, parecidos com os earphones mas com um design que permite inserir o fone de ouvido no canal auditivo. Isolamento do ruído exterior, mas você tem que saber colocá-los bem, para dar com uma almofada de seu tamanho ou você perderá parte dos graves com facilidade.

O terceiro grande grupo é o dos fones de ouvido do tipo supraaural, geralmente em formato de diadema e que se sustentam sobre nossos ouvidos. Costumam ser confortáveis, relativamente leves e com uma boa qualidade de som, mas não oferecem uma capacidade de isolamento tão boa como o último grupo, os fones de ouvido circulares.

De maior tamanho, são capazes de coletar todo o pavilhão auditivo, no seu interior, e contam com drivers de dimensões maiores, o que lhes permite atingir uma posição de reprodução de frequência muito mais rico com níveis de potência elevados e sem distorcer. Se você procura uma experiência autêntica, este deve ser o seu projeto preferido.

Muito bom, já me decidi por um modelo circumaural, mas agora vejo que há dois grandes subgrupos: com dossel aberto (são aqueles que têm microperforaciones nos pavilhões) e com dossel fechado. Quais são as diferenças?, qual é melhor?

Em um modelo de tipo fechado, o transdutor está dentro de um compartimento selado, enquanto que em um aberto se comunica com o exterior através de uma série de pequenos furos, que deixam escapar das ondas de som.
Isso permite que se mova com mais liberdade, minimizando ressonâncias dentro da caixa acústica e obtendo um som mais limpo, claro e nítido nas frequências médias-agudas e graves mais controlados, ainda que menos profundos do que os modelos fechados.

Com qual eu fico? O principal problema dos fones de ouvido abertos é que através dos furos vai fugir um pouco do som e vai entrar também o ruído do exterior. Ou seja, se reduz a capacidade de aislarte do ambiente e se há alguém mais contigo no quarto pode ouvir claramente o que você está ouvindo. Por isso, se onde você vai usá-lo normalmente, estás sozinho, sem ruídos de fundo, escolha um modelo aberto. Se, pelo contrário, você vai estar com mais pessoas, com tv de fundo, irritantes vizinhos, etc, então você precisará de um fechado.

Especificações técnicas

650 1200
Uma vez que já sabemos mais ou menos o tipo de fone de ouvido que queremos chegar a sua vez de verificar o enorme lista de especificações técnicas que nos dão os fabricantes. O que nos olha? Para começar a impedância, medida em ohms (ohm), que é a encarregada de indicar-nos a resistência à passagem da corrente elétrica.

Se é demasiado elevada poderíamos ter problemas de falta de potência, necessitando de um amplificador mais potente para atingir o nível de pressão sonora desejada. O normal é que um modelo entre os 16 e 60 ohm podemos atacá-lo com qualquer amplificador que temos em casa sem problemas.

O próximo ponto importante é a sensibilidade (dada em dB). Indica como vai facilitar será de excitar o transdutor e nos dá uma ideia de que potências máximas poderemos ouvir. Cada vez que subimos 3 dB na sensibilidade significa que precisamos de mais da metade da potência do amplificador para obter a mesma pressão sonora. Assim, um fone de ouvido com uma sensibilidade de 100 dB precisaria de metade da potência que um de 97 dB para oferecer o mesmo volume (supondo-se que têm a mesma impedância).

Você deve estabelecer em aspectos como a impedância (medida em ohms), a sensibilidade (dada em dB) e a faixa de frequências (expresso em Hz)
Também há que fixar-se na faixa de frequências que abrange o fone de ouvido. O ideal é que cubra toda a faixa audível por um humano médio (de 20 Hz a 20 KHz), algo que, na prática, muito poucos modelos alcançam a potências elevadas e sem distorção.

Tens de verificar, além disso, o tamanho e o número dos transdutores, que se encarregarão de transformar o sinal elétrico em som. Quanto maiores forem, melhor será a reprodução de frequências graves. Além disso, se têm um driver para graves e outro para as agudas, o resultado será um som mais limpo e preciso.

O Modelo com fio ou sem fio? No caso das sessões audiófilas o melhor é optar por um fone de ouvido fiação que não introduza nenhum tipo de interferência ou a uma redução da qualidade do sinal. No entanto, os atuais modelos sem fios melhoraram muito e se você não vive em um meio com muitas interferências (por exemplo, roteadores, sistemas de áudio, fones de ouvido, telefones celulares e portáteis, etc.), em geral, não deverá notar muitas diferenças.

Muito bom, mas depois desse rolo ainda estou indeciso, não poderia recomendar algum modelo em especial com o que apreciar a minha música ao mais alto nível?

A tecnologia ajuda a perder peso?

 

Um estudo põe em xeque os dispositivos portáteis que nos acompanham quando saímos a correr. Fazer uma dieta saudável para perder peso, incluindo ervas medicinais na nossa alimentação ou o uso de dispositivos móveis em nossas decisões.

Até há alguns anos, a gente que saía a correr o fazia com a primeira peça de roupa que estava no armário. Sim, a mesma t-shirt com o que havia na parede do quarto de sua casa semanas atrás e calça de fato de treino daquela promoção por comprar uma de latas de refrigerante. Do calçado melhor nem falar.

Um tênis que fosse suficientemente confortável, ou o mesmo que usava para ir jogar futebol de salão. Por a cabeça nem se passava poder ouvir música, já que o walkman pesava para transportá-lo a cada passo. No entanto, a chegada das novas tecnologias trouxe consigo uma infinidade de engenhocas que se bem, fazem com que a corrida seja mais suportável e possamos controlar até a última gota de suor que perdemos, não são totalmente eficazes.

Pelo menos isso é o que se depreende de um estudo levado a cabo por Eric Finkelstein, professor da Faculdade de Medicina da Duke-NUS de Singapura. O resultado de levar wearables (como é chamado os dispositivos incorporados em vestuário) simplesmente serve (ou pode servir para incentivar o corredor a que corra mais), mas, em nenhum caso, lhes ajuda a perder peso ou melhorar a sua saúde.

“Estes são, basicamente, aparelhos para levar a conta”, diz, antes de declarar que “sabe quão ligado não quer dizer que é melhor atividade física e a novidade de ter essa informação dissolve-se rapidamente”. Neste caso em concreto, Finkelstein reuniu um grupo de 800 pessoas adultas em seu país, dividiu-os em subgrupos. De todos eles, mais da metade sofre de excesso de peso ou obesidade e cerca de um terço eram ativos. A ideia era testar a eficácia do monitor Fitbit Zip, um modelo de quantizador em pleno ápice entre aqueles que praticam esportes com frequência.

Aqueles que usavam este dispositivo e acumulavam, em média, entre 50.000 e 70.000 etapas semanais, lhes incentivava com 11 dólares semanais e lhes duplicava a quantidade se divulgou essa meta. Para os que não, e para mantê-los estimulados, eles garantia com três dólares independentemente dos passos que deram.

Aos seis meses, os primeiros eram muito mais ativos do que os segundos. Mas para os seis meses seguintes, depois de deixar de receber o incentivo, 90% das pessoas que participavam do programa abandonaram o uso do dispositivo portátil, o que o professor Finkelstein afirma que “qualquer estratégia para motivar deve ser durante um longo período de tempo para gerar melhorias notáveis e benefícios para a saúde”.

Aplicativos para controlar o nosso peso

Em qualquer caso, e apesar deste estudo, o uso de aparelhos na hora de praticar esporte é algo cada vez mais notável. Em um mundo em que cada vez é mais importante o aspecto físico, são cada vez mais as pessoas que saem a correr, participam em corridas, ou, simplesmente, vão a academia. E para elas também existem muitas aplicativos para perder peso.

Em seu Android por exemplo, podemos encontrar categorizadas, de forma que nos é mais confortável de dar com um aplicativo que nos permite monitorar nossa atividade diária ou controlar os quilos que vamos perdendo, se estamos seguindo a dieta. Há que se oferecem um programa de acordo com seu nível, seja você um novato ou um profissional, e que permitem ao usuário registrar cada rota percorrida durante os treinos, com o principal objetivo de perder peso.

5 razões para aprender HTML e CSS

Aprender HTML e CSS não lhes serve apenas para os web designers. Vejamos algumas razões por que talvez você queira aprendê-los também.

HTML, sigla para HyperText Markup Language (linguagem de marcação de hipertexto), refere-se à linguagem de marcação para a elaboração de páginas web. Complementa-se com as Folha de estilo em cascata ou CSS (sigla em inglês para cascading style sheets), linguagem utilizada para definir a apresentação de um documento escrito em HTML.

É normal que a maioria das pessoas que querem entrar no mundo do web design seja a que mais se quer aprender HTML e CSS. Mas não queira dedicar a sua vida ao web design não significa que você não possa aprendê-las também. Aprender HTML e CSS pode ser de utilidade, vejamos porquê.

1. Você pode criar sites simples

Quer uma página web pessoal ou para o seu negócio, ter um site próprio se dá de uma presença online, e um certo grau de profissionalismo. Você terá um site que mirar seus contatos e como és tu, que controla totalmente o conteúdo, você será capaz de transmitir o tipo de imagem que deseja.

2. Você pode mexer com o código de outras páginas

A maioria dos navegadores modernos incorporam ferramentas para desenvolvedores com as quais podemos fazer simples mudança, como alterar o texto da página, cores, imagens ou o que quer que nos aconteça. Essas mudanças só são visíveis no seu PC, o que permite criar um ambiente de aprendizagem sem danificar a verdadeira página web. Ferramentas como esta são excelentes tanto para aprender como para descobrir se você está interessado neste tipo de tecnologias.

3. Serve para escrever na Internet

Se você tem um blog ou quer escrever em qualquer um de vez em quando, sabe do que estou falando. É totalmente certo que podemos usar os formulários de texto para introduzir os elementos de que queremos falar, mas o controle absoluto do conteúdo não há outra forma de obtê-lo se você não é capaz de escrever na linguagem HTML.

Às vezes copiamos o conteúdo do Word ou de outra fonte e vem com estilos raros ou quebrados que você tem que corrigir, editando o código. Isto não só se aplica para escrever em blogs, mas também muitos sistemas de comentários de outros sites, que permitem a utilização de tags HTML para deixar nossas palavras com um formato específico.

4. Incorporar conteúdo de outros websites

Muitas páginas têm a opção de compartilhar uma parte do seu conteúdo em outros sites, como Youtube. Ser capazes de editar a forma que outras pessoas vão ver o conteúdo pode ser de utilidade. Por exemplo, talvez queiramos compartilhar alguns segundos concretos de um vídeo ou simplesmente queremos que o leitor faça o jogo com a web que conhece.

5. É uma porta para coisas mais avançadas

Uma vez que já sabemos um pouco de HTML e CSS talvez queiramos dar-lhe um pouco de interação com a nossa página web, para o que aprenderemos, por exemplo JavaScript. Então é possível que você deseja que o conteúdo seja gerado dinamicamente e seja capaz de manter determinada informação, pode ser PHP e MySQL, ou qualquer outra alternativa. Mais adiante, queremos fazer uma aplicação para android da nossa página ou aplicação web que desenvolvemos, assim que leremos algo sobre Java que é para o Android. Em um dado momento, talvez gostaríamos que nossa aplicação funcionasse independente de um navegador web, ou seja, uma aplicação de ambiente de trabalho, pelo que, se usamos o Linux por exemplo, podemos procurar informações sobre a Vala e Gtk+ e Qt, que tem um bom suporte multiplataforma.

Como pode ver, a final, uma coisa que nos pode levar a outra, e acabamos caindo de cheio neste apaixonante mundo tecnológico. O meu caso é este último, aprender uma coisa me costuma levar a ter a necessidade de fazer algo novo, por isso que tento aprender uma outra coisa a mais para complementar a anterior. É um círculo que se repete uma e outra vez, mas se você gosta de aprender coisas novas, é um grande passatempo.

5 Dicas para Escolher um Celular Bom e Barato

 

Recomendamos vários pontos que servirão para escolher seu próximo celular, e, sem que se mantenha a simplicidade com as especificações técnicas.

Sejam mais caros ou mais baratos, o certo é que ninguém quer gastar mais dinheiro do que o necessário na hora de comprar um telefone. Por isso é útil saber em que consiste cada um dos componentes internos básicos para não cair na armadilha da ganância de um vendedor.

Se te complicam as especificações técnicas, aqui deixamos alguns dos elementos cruciais e como distingui-los.

Armazenamento

Na maioria dos telefones Android, poderemos guardar os dados em dois locais: memória interna e cartão microSD. Embora seja comum referir-se a ambos como “memória” é importante não confundi-lo com a memória RAM. É um pequeno chip que equivale ao disco rígido tradicional em computadores.

É medida em Gigabytes (GB) e basicamente nos diz quantas aplicações, fotografias e vídeos podemos ter no celular. É importante que o armazenamento interno seja amplo. Embora possamos tirar o cartão microSD, o certo é que nem todas as aplicações nos vão permitir tirar proveito e utilizam, exclusivamente, o chip principal.

  • Ruim: 8 GB ou 16 GB.
  • Aceitável: 32 GB.
  • Bom: 64 GB ou mais.
    Se tem um cartão microSD melhor do que se não tem. Às vezes vêm de bandeja que permite ter dois cartões nanoSIM ou uma nanoSIM e microSD.

Memória RAM

Neste caso trata-se da memória que o telefone usa enquanto está em funcionamento. Quanto mais mais aplicativos poderemos ter funcionando ao mesmo tempo, sem que o telefone fique lento e pode mudar de app rapidamente e com fluidez.

Também é medido em Gigabytes (GB), embora o total é muito inferior ao do armazenamento interno, pois precisamos apenas de uma parte e são chips mais rápidos e caros. É um componente crítico, a longo prazo, e se pensarmos explorar o aparelho por muitos anos, quanto mais melhor.

  • Ruim: 1 GB.
  • Aceitável: 2 GB.
  • Bom: 4 GB ou mais.

Processador

O cérebro principal da máquina. Há muitos modelos e marcas, e é mais do que possível ficar confuso, sinceramente. Os principais são a linha “A” da Apple, os Snapdragon da Qualcomm, Exynos da Samsung e Kirin da Huawei. Estão separados em número de núcleos, embora as configurações são várias, e é comum que haja processadores com oito núcleos muito piores do que alguns com quatro núcleos.

Como são tantos modelos, é difícil dar uma recomendação básica. No iPhone, os processadores com um maior número são mais potentes e modernos. Na Snapdragon, da gama “400” representa capacidade baixa, a “600” a capacidade alta, e a “800” é a capacidade alta, mas aqui há um truque: você tem que tentar evitar os processadores de anos passados (um Snapdragon 636 é mais moderno e preferível a um Snapdragon 810). O mesmo acontece em Kirin e Exynos, com numeração progressiva.

Bateria

Um dos pontos mais cruciais. Temos que ter em conta não só o total de energia que pode ser armazenada (medida em miliamperios hora: mAh), mas também funções como a carga rápida que nos levará de muitos apuros podendo recarregar a bateria em muito menos tempo.

Quanto mais bateria melhor, mas cada telefone e cada processador gasta de forma diferente, e é um dos principais indicadores do tamanho de um celular. Por exemplo, os iPhone modelo “Plus” tem uma bateria maior e que permite tirar mais proveito no dia-a-dia, mas também são muito maiores.

Em geral, para um dispositivo com Android a regra geral pode ser a seguinte:

  • Ruim: 2.000 mAh.
  • Regular: 2.600 mAh.
  • Bom: 3.200 mAh ou mais.

Câmeras

Por último, as câmeras são outro dos pontos confusos. Há que ter em conta que quase qualquer celular tira hoje em dia muito boas fotos com boa luz, mas em ambientes suaves e noite a coisa muda.

Nem todos os sensores (o chip que recolhe a luz e as lentes (os cristais que a deixam passar) são feitos iguais, nem mais megapixels significa necessariamente melhores fotografias, nem uma dupla câmara oferecidos por necessidade melhores resultados do que uma só.

5 Dicas de IDE’s para programar em JAVA

O que é IDE?
A sigla IDE representa para o Ambiente de Desenvolvimento Integrado, em tradução livre. É um programa que reúne uma série de ferramentas que fazem o programador a vida mais fácil. Entre suas características, podemos citar a presença do compilador-onde o programa será executado ; o editor, onde o código será gravado; e a depurador-o que vai ser usado para entender por que o seu código não está funcionando.
Além dessas funções fundamentais, muitas IDE’s permitem que você personalize o seu ambiente de trabalho, e personalizar sua aparência, com temas e cores, ou até mesmo alterar completamente o seu código-fonte. Tudo para tornar sua vida mais fácil. Sem mais delongas, vamos à lista!

Eclipse

O Eclipse é uma das mais famosas e melhores IDE’s Java disponíveis. É um ambiente multiplataforma, com impressionantes características que aumentam o poder de luta dos desenvolvedores. Este está disponível.

NetBeans

Também é um dos maiores e mais famosos IDE Java que contém quase todos os recursos do Eclipse. Esta é uma multi-plataforma de IDE que é disponível gratuitamente. Tutoriais já estão prontos para os usuários.

IntelliJ Ide

Este IDE é amplamente usado por programadores de Java. As opiniões estão divididas entre este e os outros dois que têm sido apresentadas sobre qual é a melhor, mas estes são, em nossa opinião, os melhores. Você pode usar esse IDE, de graça, mas para obter todos os recursos que você precisará comprá-lo.

BlueJ

Grátis um IDE Java que é projetado para aqueles que são novos na linguagem. Ele é usado por milhões de pessoas em todo o mundo. Este IDE é uma plataforma livre.

JCreator

Um poderoso IDE para os programadores Java com vasta experiência. Ele está disponível apenas para a plataforma Windows.

Vou adicionar um pouco mais sobre o Netbeans, pois é o que uso com mais freqüência e minha dica para os iniciantes. NetBeans IDE é uma multi-plataforma de ambiente de desenvolvimento, uma ferramenta que ajuda os programadores a escrever, compilar, deb e instalar aplicações, foi concebido como uma estrutura reutilizável que visa simplificar o desenvolvimento e aumentar produtividade, levando todas estas funções em um único aplicativo. Escrito completamente em Java, mas pode ser usado para qualquer outra linguagem de programação ou idioma que você desenvolver com Swing, alguns das linguagens NetBeans suporta são: C, C++, Ruby, PHP, XML e HTML.

É que o leitor use qualquer um dos IDE, representados ou não? Deixe-nos a sua opinião!

Como começar uma Carreira de Desenvolvedor de Aplicativos

Mesmo se isto não é uma tecnologia tão recente, aplicações móveis continuam a ser muito importante no mercado de software. Muitas aplicações estão aparecendo a cada dia, se é para resolver todos os nossos problemas do dia, ou engraçado, de alguma forma.

Para aqueles que querem iniciar uma carreira como desenvolvedor de aplicações a partir do zero deve estar ciente dos desafios. Além da necessidade de aprender as tecnologias atuais, o mercado é muito volátil quando o progresso tecnológico e as novas estruturas que surgem a cada dia.

Desde o início, na lógica de programação, você vai encontrar uma série de desafios. Depende do desenvolvedor do aplicativo serão intimidados e enfrentarão os obstáculos de frente.

Pensando em ajudar quem quer começar a carreira, nós mostrar-lhe algumas dicas.

Aprender a lógica de programação

Quando pensamos em resolver os problemas do dia a dia com o software, pensamos que há passos lógicos. Então, como fazer uma receita de bolo, que no desenvolvimento de software não é uma seqüência de ações para atingir um resultado final.

As sequências são a lógica, a programação é muito bem estruturada, o que chamamos de algoritmos, você vai aprender quando estudamos a lógica de programação. No caminho para se tornar um desenvolvedor de aplicativo, este é definitivamente o primeiro passo, que na verdade acaba de bom para qualquer setor e da área, quando se trata de desenvolvimento de software.

  • Paradigmas de programação

Um paradigma de programação é a maneira em que o desenvolvedor pensa e age para resolver um problema durante o planejamento é o guia para o desenvolvimento. Esses paradigmas são diferentes em termos de conceitos, aplicações e técnicas.

Um problema pode ser resolvido com base em diferentes paradigmas. Assim como quando se fala sobre linguagens de programação ou IDE, é difícil dizer que um é melhor que o outro. Cada um deles é o que é melhor indicado para um problema específico.

Quando falamos sobre o desenvolvimento de aplicações móveis, os principais paradigmas de programação são:

  • Orientação a objeto

Se hoje temos a considerar os aplicativos para smartphones, a maioria deles utiliza a orientação a objetos. Esta metodologia permite que o programador para encapsular regras de negócio, além de escrever o código mais limpo e pequeno.

Por que participar de um curso orientado a objeto lógica, é um passo importante no caminho como um desenvolvedor de aplicativos.

  • Paradigma funcional

O funcional paradigma tem ganhado espaço no desenvolvimento para dispositivos móveis, especialmente com o advento das linguagens como Kotlin e Swift. Ele é baseado no conceito matemático de função, onde estas funções são utilizadas para resolver problemas.

O paradigma funcional permite escrever um código, às vezes mais breves e expressivas. Por esta razão, funcional línguas são uma opção interessante para quem quer começar uma carreira como desenvolvedor de aplicações.

Escolha Corretamente seu Notebook

Há muitas maneiras de escolher um computador portátil, não há? Alguns têm um processador melhor, alguns têm uma ótima placa de vídeo, e assim por diante. Mas pode levar a perguntar o que o dispositivo é mais útil para o que você precisa.

Mas não se preocupe, eu vou te dizer. Separei algumas das coisas que você precisa manter um olho na hora de comprar um laptop. Olhe para dentro:

  • Processador
    Quando procurar para Notebooks, você vai ver que eles são diferentes tipos de processadores. Intel Core i3, i5 e i7 são os mais comuns processadores do mercado.

Hoje, a maioria dos processadores é rápida o suficiente para realizar as tarefas diárias, como navegar na Internet e Processar informação, i3. Vale a pena comprar um laptop com um processador poderoso, como o i7 ou um de alta, quando o dispositivo é usado para programação ou gravação de fotos e vídeos.

O processador é a parte mais cara de computador. Se você não precisa de um processador mais rápido, você pode economizar dinheiro comprando uma máquina com mais básicos de processador.

  • Memória RAM
    A memória RAM é importante, pois mantém todos os programas em execução no computador. Então você não tem nenhum problema com lentidão, queda ou tela azul, o que significa que, se o computador é desligado, o Mínimo recomendado é de 2 GB, OK?

Mas se você deseja usar esta Observação mais vezes, eu prefiro o 4 GB de RAM Observação. Se o objetivo é trabalhar em fotos, vídeos e uma reprodução, o ideal é um disco rígido de 8 GB ou mais.

  • Arquivamento
    Se você é o tipo de pessoa que gravou todas as suas fotos, filmes e músicas da família em seu computador, você deve escolher um grande site de armazenamento, tais como o de 500 GB ou 1 TB, o que é suficiente para armazená-los, além de arquivos de trabalho, faculdade e alguns programas baixados. Há espaço, você quer ver? Para se ter uma ideia, 1 GB armazena mais de 200 fotos em alta resolução!

Aqui, há duas possibilidades: HD e discos SSD. HDs são muito bem adequadas para o armazenamento de arquivos, como a velocidade orientada para SSDs são ideais para aplicações com Carga. Mas SSDs são mais caros.

  • Placa de vídeo
    A placa gráfica é usada para exibir todas as imagens exibidas na tela. Assim, se o seu objetivo é assistir a vídeos ou jogar com seu laptop, você está olhando para alguém com uma placa gráfica mais potente.
  • Tela
    Ao pensar sobre o tamanho da tela do seu laptop, é importante lembrar que quanto maior o dispositivo, o mais pesado, o dispositivo e o maior da Bateria! O tamanho da tela deve ser, portanto, ideal para atender as suas necessidades, se você deseja usar em muitos lugares, escolha de 11 ou 13 polegadas de tela, mas se você quiser ficar em casa, 15 ou 17 polegadas pode ser uma boa Opção.
  • Bateria
    A vida útil da bateria é altamente dependentes de outros componentes do computador e do tamanho. Para fazer isso, eles olham para as marcas que vendem a bateria, para que eles tenham uma reserva em caso de concluir que eles usam, para eles olharem para um computador com uma Bateria estendida, vai demorar um pouco mais que o normal.
  • Ferramentas
    Finalmente, você olhar para todos os outros recursos que você tem a oferecer. Alguns modelos não oferecem mais o CD e DVD de entrada, porque não só eles fazem seu laptop mais difícil, mas eles também podem armazenar seus arquivos no pendrive e assistir a vídeos e filmes diretamente na Internet.